Como gerir conflitos e melhorar a dinâmica dos nossos relacionamentos

A história da humanidade é marcada por muitos conflitos que causaram grandes transformações. Se refletirmos sobre nossas histórias pessoais também encontraremos momentos conflituosos que vivemos, avaliando essas situações entenderemos sobre a nossa maneira de ser, principalmente como nos comportamos e agimos em nossos relacionamentos.

Neste artigo vamos conversar sobre o que é a gestão de conflitos, situações que geram conflitos, quais os tipos de conflito e como administra-los de forma eficiente para dissolver as tensões e encontrar a solução onde todas as partes ganhem com a negociação.

O que você vai encontrar neste artigo

  1. Conceito e os três tipos de conflitos
  2. O processo de desenvolvimento dos conflitos
  3. O que é a gestão de conflitos
  4. Como os conflitos impactam o clima organizacional
  5. Estratégias para o gerenciamento de conflitos
  6. Conclusão

Conceito e os três tipos de conflitos

Segundo Giddens e Sutton, conflito é conceituado como sendo a “luta entre grupos sociais pela supremacia, envolvendo tensões, discórdia e choque de interesses”. Em geral a palavra conflito significa oposição de ideias, sentimentos ou interesses. Os conflitos podem ser classificados em três tipos: intrapessoal, interpessoal e intergrupal.

Intrapessoal

É o tipo de conflito que envolve apenas uma pessoa, são os nosso conflitos internos. Podem ser percebidos quando sentimos dificuldade em fazer escolhas, ou nos questionamos sobre como agimos. Esse tipo de conflito pode nos paralisar e é considerando tão danoso quanto os demais.

Interpessoal

Este tipo de conflito ocorre entre pessoas, na maioria das vezes, que fazem parte de um mesmo grupo e ocorre pela divergência de opiniões, valores, convicções e interesses. É o tipo mais comum de conflito e podemos perceber sua manifestação no ambiente de trabalho, grupos de amigos, família, relacionamentos amorosos, etc.

Intergrupal

É caracterizado pelo embate entre grupos diferentes que divergem em interesses, valores e convicções. Alguns exemplos são conflitos religiosos, entre torcidas de times, setores diferentes das organizações, partidos políticos, etc.

“A resolução de conflitos raramente tem a ver com quem tem razão, e sim com o reconhecimento e a apreciação das diferenças.”
Thomas Crum

O processo de desenvolvimento dos conflitos

Analisando como os conflitos são formados podemos identificar cinco estágios desse processo, iniciando na percepção do conflito até o resultado final, podendo ser positivo ou negativo. No primeiro estágio temos a oposição potencial, a incompatibilidade de ideias, o segundo estágio é o momento que percebemos o conflito, a definição de estratégias para resolver o problema acontece no terceiro estágio, após definirmos a estratégia passamos para o quarto estágio onde adotamos o comportamento que acreditamos ser melhor para a situação, após essa ação chegamos ao resultado do conflito, podendo ser positivo ou negativo.

O que é a gestão de conflitos

A gestão de conflitos é a habilidade de saber lidar e administrar interesses opostos por meio de técnicas, práticas e processos que ajudam na realização de negociações favoráveis para todas as partes. Desenvolver essa habilidade é importante para conseguirmos fazer escolhas melhores, ter relacionamentos saudáveis e harmonizar a interação dentro dos grupos que fazemos parte.

Como os conflitos impactam o clima organizacional

Como falamos no início deste artigo, os conflitos estão presentes em todas as áreas da nossa vida e é muito fácil identificá-los em nosso ambiente de trabalho, principalmente se trabalhamos em equipe. Mas já parou para pensar como os conflitos impactam nosso trabalho? O clima organizacional é a forma como percebemos o ambiente em que trabalhamos, como uma “atmosfera psicológica” que reflete o momento atual da empresa, como está o relacionamento entre colaboradores e organização.

Quando a gestão de conflitos é realizada de forma eficaz temos um ambiente criativo, diverso, produtivo onde as pessoas sentem-se entusiasmadas por estar ali, do contrário quando os conflitos geram resultados negativos, percebemos a tensão dentro da empresa, pessoas com medo de compartilhar ideias, de discordar e isso reflete diretamente na taxa de turnover.

Estratégias para o gerenciamento de conflitos

Após muitos estudos, especialistas no assunto como Mayer e Mariano (2008) e Kenneth W. Thomas e Ralph H. Kilmann (1977) chegaram a um modelo que sintetiza a administração de conflitos e nos mostra as cinco formas mais utilizadas no gerenciamento de conflitos.

1. Competição

Uma das partes busca a vitória com o único desejo de satisfazer seus interesses, sem demonstrar disposição para colaborar com um resultado que seja favorável para ambos.

2. Colaboração

Ambas as partes querem chegar a um resultado que satisfaça aos interesses de ambos.

3. Evasão

Ambas as partes evitam dialogar sobre o conflito, não buscam satisfazer os próprios interesses nem os do outro.

4. Acomodação

Uma das partes resolve satisfazer os interesses da outra, deixando os seus de lado.

5. Compromisso

Acontece quando ambas as partes estão em níveis intermediários de cooperação. Na maioria das vezes, solicitam uma terceira opinião para ajudar na decisão final.

Conclusão

Conflitos são situações desconfortáveis, mas é algo que faz parte da nossa experiência de vida em todas as suas áreas e por isso se torna importante aprender a gerir conflitos com o objetivo de melhorar a qualidade das nossas experiências. O diálogo é uma excelente ferramenta para gestão de conflitos, nos permiti compreender os outros e também compartilhar como enxergamos o que vivemos.

Espero que este artigo tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre o gerenciamento de conflitos e fornecido ferramentas para melhorar a sua vida.

Abraço!

 

Referências

Curso Gestão de Conflitos

Sem comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *